Aspiração

Quem me dera ser aquela que, com barulho, fecha a porta.
Ser ajuda que não sabe o que importa.
Quem me dera ficar fora e voltar pra uma parcela,
fracionar a vida e viver só parte dela.
Quem me dera levantar e sair por onde entrei,
me deitar e nem lembrar se eu sonhei.
Quem me dera ter o luxo de ser tantos e um só.
Ver a dor e no meu peito não ter dó.
Quem me dera a segurança de achar que estou certa,
e ter, após tantas coisas, mente aberta.
Quem me dera a chance de ser colo temporário,
ter caminhos que não são tão solitários.
Quem me dera ter vontade pra outras coisas e energia,
ter noite inteira de descanso ao fim do dia.
Quem me dera eu tivesse tanta facilidade…
e em coisas fúteis encontrar felicidade.
Quem me dera a esperança de dias melhores a espera,
De esquecer palavras duras,
curar feridas,
quem me dera…

Raquel Núbia

IMG_3312.JPG
Raquel Núbia. Foto: Leandro Oliveira – Alto Caparaó/MG
Anúncios

Vida que segue

Sabe o que é mais lindo nessa vida?
Ela continua…
Independente da nossa vontade, alheio aos nossos desejos, ela continua.
Ela é autossuficiente para tomar as próprias decisões, seguir o próprio curso e, por mais que que a gente se veja encurralado em algum momento, quase ninguém fica encurralado pra sempre, porque a vida segue o rumo e o que antes era rua sem saída, vira recomeço num piscar de olhos.
Nesse exato momento eu estou sorrindo por dentro, simplesmente por conseguir compreender isso tudo. Simplesmente por ter provas a cada momento de que não importa como termine o dia, outro dia virá, para o bem ou para o mal, a vida continuará.
Com ou sem as pessoas que nos cercaram um dia, felizes ou tristes, aqui ou não, ela continuará.
E presenciar essa renovação de ciclos é um acalento, um sinal de que não precisamos mesmo provar nada pra ninguém, a vida se encarrega disso naturalmente.

alto-caparao-13
Raquel Núbia. Foto: Leandro Oliveira – Alto Caparaó/MG

Raquel Núbia

Estouro

Quem, por vontade própria, deseja se apaixonar?
Entregar o peito aberto para outra mão cuidar.
Colocar o coração pulsando sem nada a proteger
E esperar que nada de mal irá lhe acontecer.

Quem, em consciência, opta por essa insanidade?
De se deixar exposto em toda sua fragilidade.
Revelar profundamente o que sempre foi guardado,
Se mostrar inteiramente, de um modo inesperado.

Qual o tamanho dessa loucura?
Que tantos outros estão a procura.
Entregar a arma que pode tirar a vida
E confiar que quem a guarda é uma mão amiga.

Qual o sentido desse sentimento?
Que de tanto senti-lo se faz tormento.
É estar nua de todas as defesas.
Deixar n’outro domínio, alegria, tristezas.

Quem por vontade própria, deseja se apaixonar?
E se já entrelaçado, como se desvencilhar?
O peito que pulsa, insano, sem proteção.
Esperando cuidado do outro… Pobre coração.

Estouro

Raquel Núbia

Hoje conversando sobre algumas coisas com um amigo, senti um pequeno nó se formando na minha garganta.
Aquela vontade de chorar que vem quando a gente não espera e que faz com que encerremos imediatamente nossos pensamentos porque, se não o fizermos, o nó não ficará somente na garganta e inevitavelmente se transformará em lágrimas indesejadas…
Sei que essa vontade veio porque me deparei com a obrigação de fazer algo que me agrada e desagrada na mesma quantidade, por realizar que as coisas não são nada como deveriam ser e não serão, por saber que não importa o quanto façamos, algumas pessoas simplesmente não nos veem como pessoas boas e inventam para si uma imagem baseada em sua própria criatividade e não fatos por mais claros que eles sejam.
Esse nó veio para mascarar uma saudade… Saudade de coisas que nem sequer aconteceram, mas principalmente de sonhar com elas, em como seriam… E por perceber que não se pode ter tudo o que se deseja porque, para alcançar alguma coisa, outra tem que ser deixada para trás.
Então é melhor para de pensar e simplesmente viver… Afinal os desejos que não se realizaram já estão no passado e suas consequência bem vivas no presente e o que resta é tentar focar no novo e sonhar com o que ainda virá…

alone-beautiful-black-blond-Favim.jpg

06/12/2012
Raquel Núbia

Anseio

Ah…
Não é só vontade da gente…
é desejo de sentir seu corpo quente,
e o perfume da sua pele inebriar…

Não é só desejo carnal,
é necessidade, é anseio vital,
dentro de você me perder, me encontrar.

Ah…
Não é só vontade ver você sorrindo
enquanto sente aos poucos a força se esvaindo
e tem a certeza de que é por você…

É a tranquilidade de me dar sem fingir,
de ser tudo o que quero sem me trair,
atender seus desejos em tom natural.

Não é só carência de corpo e prazer,
é necessidade de amar você,
ser inteira sua em entrega total.

dfg
Imagem: favim.com

Raquel Núbia

Eu quero

Eu quero paredes brancas, eu quero janelas abertas…
Eu quero varanda molhada, eu quero uma vista discreta.
Eu quero vidros limpos e uma vegetação lá fora…
Eu quero uma escrivaninha sem compromisso com a hora.
Eu quero café para dois, com xícaras sobre a mesa.
Eu quero meias nos pés e sonho de sobremesa.
Eu quero o silêncio da chuva…
Quero o prazer da solidão.
Eu quero uma folha em branco e uma caneta na mão.
Eu quero um mural de fotos, com fotos de gente comum.
Eu quero poltronas e mantas.
Eu quero lugar para mais um.
Eu quero um tempo pra mim.
Eu quero chorar e sorrir.
Eu quero encontrar uma forma,
De querer e também conseguir.

Eu quero

Raquel Núbia