Ao amor da minha vida

Eu nunca fui de pensar muito em você… Sendo sincera, até pouco tempo eu pensava quase nada, nem reservei momentos para te planejar.
Em algumas situações me senti cobrada de forma velada por essa posição e um pouco diferente e sem lugar.
Eu tive certeza de que viveria minha vida sem você.
Certa vez achei que tudo tinha mudado, naquela hora eu falei de você, eu pensei em como seria te ter e por um breve, breve momento eu te quis.
Mas aquilo passou num piscar de olhos e quando olhei pra trás percebi que não te ter foi a melhor coisa que me aconteceu. Não era o tempo. Se tivesse sido, tudo seria diferente.
Novamente achei que não aconteceria mais, que você havia sido uma alternativa momentânea para salvar algo que não podia ser salvo, mas o tempo passou e cá estou eu pensando em você. E hoje penso mais que nunca!
Hoje eu sinto que te quero e desejo da maneira certa, com o sentimento certo.
Hoje eu te planejo como uma realidade, como alguém que eu quero nos meus dias e noites, que eu desejo apesar de tudo.
Você já está nos pequenos detalhes, nas concessões temporárias e talvez definitivas.
Eu penso em você todos os dias. Em alguns dias a todo instante, em outros por um breve segundo, mas sempre.
Eu não te conheço mas, você já existe!
Eu não te conheço mas já consigo sentir até o seu cheiro!
Eu tenho amado a ideia de ter você na minha vida mas sei que, quando você chegar eu vou te amar ainda mais.
Mal posso esperar para ter nos meus braços a pessoa que mais vou amar nessa vida.

Raquel Núbia

af4393db-fec4-48f3-8ae2-4bba92f06548
Foto: Leandro Oliveira – (Fiz esse texto quando ainda não estava grávida, hoje são 03 meses e meio, e contando… ❤ )

 

Anúncios

O sorriso da lua

Hoje o céu trouxe uma lua
Que sorriu pra mim…
Lá de longe ela me olhava
No breu de imensidão sem fim.

Essa lua, ali sorrindo
Quase me desafiava,
Pois no dia já vivido
A alegria não estava.

Aquela lua, testemunha…
Entre perdidos e achados.
Viu que quando eu fiz planos,
O universo jogou os dados.

Ela que antes era grande,
Num sorriso se reduziu.
Quase ao mesmo tempo
Em que o meu sorriso sumiu.

Lua de sorriso maroto…
De tamanha ironia,
Mostra sua alegria à noite,
Mas some na realidade do raiar o dia.

Raquel Núbia

D6BA308A-D13D-4C9A-A4AB-A5DEF2324295.jpeg
Foto: Arthur Venuto – Instagram @arthur_venuto

Sobre as canções dos dias de sempre

Os dias continuam passando no mesmo turbilhão de sempre e, ultimamente tenho gostado porque esse turbilhão é o que tem envolvido planejamentos importantes que colocam todo o restante das atividades sob perspectiva e definem o tamanho real do que realmente importa.
E a gente vai vivendo e, como escreveu Mário Quintana: “Tão bom viver dia a dia… A vida assim, jamais cansa… Viver tão só de momentos, como estas nuvens no céu…”, e sentir realmente que estamos priorizando o que tem importância verdadeira pra nós. Você tem feito isso?
Nem sempre é tarefa fácil, porque são tantos estímulos jogados sobre nós o tempo todo, tantos deveres e expectativas que nos rondam a todo momento que nem sempre conseguimos refletir sobre nossas ações e sobre nossos planos. Mas se não somos capazes de pensar sobre nossos desejos e nossos objetivos, jamais seremos senhores do nosso tempo, de nossos resultados e a vida se tornará uma grande engrenagem da qual seremos apenas mais uma peça e não o protagonista da nossa história, seja ela qual for.
O tempo é como a água quente que alcança o corpo cansado no fim do dia. Aos poucos desata os nós, desfaz a tensão carregada nos ombros, alivia a mente pesada e transforma o cansaço e o estresse em renovação e preparo para novos desafios.
A água quente que caiu sobre mim, lavou minhas angústias outrora sentidas, levou a falta de crença na eternidade dos sentimentos e limpou os sentimentos anuviados que habitavam meu coração. O tempo faz milagres quando estamos dispostos a colaborar.
Não é lindo viver assim? Sem dar nomes aos rios justamente por saber que será outro rio a passar? Com a tranquilidade de que nada acaba para sempre e também não continua, pois, o ciclo correto é recomeçar?!
“E sem nenhuma lembrança das outras vezes perdidas”, carrego a rosa dos ventos em minhas mãos distraídas…

Raquel Núbia
(para ler a poesia completa de Mário Quintana, clique aqui)

IMG_20170111_190109
Foto: Raquel Núbia – Rio das Ostras/RJ

 

“Ponto&Vírgula” – Post 08

Sobre a ausência da escrita e as certezas da vida

Domingo a noite e começou a cair uma chuvinha cheirosa por aqui.
Dias e dias que eu entro no Verba Volant, olho, respondo aos comentários e saio sem atualizar ou compartilhar nada. Houve um tempo em que eu me sentia culpada por deixar o blog às moscas e isso era baseado na expectativa do que os outros diriam sobre essa ausência.
Será que pensariam que não sei mais escrever? Que não tenho mais propósito ou inspiração?
Essa expectativa vinha muito forte devido ao senso de concorrência que eu tinha com algumas pessoas. Um grande despropósito, considerando que desde o início meu intuito sempre foi apenas compartilhar o que escrevo. Anteriormente nem sabia como interagir com outros bloggers, como escolher tags ou atrair novos seguidores… Aliás, só descobri os seguidores depois que algumas pessoas começaram a seguir o Verba Volant de forma espontânea.
Saber que existem pessoas por todos os lados que tem acesso ao que escrevo me traz uma sensação muito boa, um sentimento de reconhecimento que nem sempre tenho no meu trabalho ou em outras áreas da minha vida. É reconfortante saber que somos apreciados e que alguém é tocado de forma positiva pelo que fazemos.
Quem me acompanha aqui há tempo, sabe que em 2016 eu divulguei aqui o projeto de lançar um livro. Hoje esse livro está pronto, com as poesias escolhidas, diagramado, salvo no meu notebook e no meu e-mail, o registro na biblioteca nacional já foi feito… Para ser sincera, falta a produção da capa.
Esse assunto é algo que vive voltando à minha cabeça: “O que as pessoas que leram essa divulgação estão pensando? Que desisti?”
Não. Eu não desisti. Eu apenas repensei.
Quem escreve sabe que o investimento no lançamento de um livro de forma independente não é baixo e as propostas que eu tive de editoras excluíam quase toda minha participação no que o livro produzisse.
Fora isso, todo o engajamento emocional e planejamento.
Quando me peguei em meio a tantas decisões a tomar, percebi que minha motivação não estava correta. A materialização de algo tão importante pra mim estava escondida por traz do sentimento errado. Eu iniciei todo o projeto apenas baseada no desejo de cumprir essa meta antes que outra pessoa cumprisse… (para entender melhor, basta ir até o post “Calmaria” publicado em Setembro de 2016 e ler os comentários).
Quão mesquinho isso poderia ser?
Jogar algo desejado e esperado para o mundo apenas para tirar o prazer de que outra pessoa possa chegar a linha final antes de você?
Certamente se meus desejos estivessem cobertos pelos sentimentos do meu coração, meu livro já estaria impresso e distribuído. Mas sabe, os meus desejos estavam sim cobertos pelos sentimentos do meu coração, mas os sentimentos errados, pela raiva, pelo ódio, pelo sentimento de injustiça…
Pouco tempo atrás publiquei aqui sobre a leveza de conseguir falar das experiências passadas sem sentirmos as mesmas coisas ruins e isso culminou na minha vinda aqui essa noite para contar tudo isso que estou contando.
Curioso que o propósito dessa texto não era esse, não foi pensado.
Era para ser somente um “olá” de uma escritora cansada, consumida pelos afazeres de uma vida real que tem exigido bastante e tirado um pouco a energia para a vida virtual, incluindo a escrita.
E tudo bem.
Porque nem todas as tarefas cansativas são ruins, algumas delas exigem esforço justamente para que possam dar certo. Ser feliz dá trabalho e eu espero que, em breve eu possa vir aqui, novamente para contar o resultado desse esforço atual. Esforço mental e sentimental.
Alguns curativos foram removidos recentemente e olhar algumas cicatrizes foi doloroso, mas serviu como impulso para que eu pudesse ver que elas estão fechadas e que não vão doer novamente.
Se ainda pretendo lançar meu livro?
De verdade, não sei.
À você que tanto usou isso como forma de ameça, boa sorte.
Espero mesmo que você cumpra suas metas e objetivos e que seja feliz e realizada como sempre me disse que seria e é com o coração limpo que desejo isso. Levou um certo tempo, mas eu desaprendi a odiar. Eu fico aliviada por sentir e saber que se um dia eu quiser retomar tudo isso, será por mim e não por ninguém mais. 
Independente de colocar minhas produções no papel, eu afirmo que grandes coisas estão por vir. Coisas maiores do que qualquer disputa, qualquer concorrência, qualquer mágoa.

A árvore eu já plantei, o livro já está escrito…

Com a graça de Deus, em breve estarei comemorando essa chegada!

Raquel NúbiaImagem8

DIA #01 – 30 DAY CELEBRATION

1

Sempre que um novo mês começa é como se agente se revestisse de esperança e renovasse as energias para iniciar um novo ciclo ainda que os dias vindouros não guardem grandes excitações ou acontecimentos… Ao mesmo tempo em que temos a sensação de que vencemos mais uma etapa, sentimos aquele velho sopro no ouvido de que já se passou mais um mês e o tempo realmente não perdoa, ele voa.
O mês de setembro pra mim é sempre um mês de sentimentos mistos, pois ele marca alguns acontecimentos importantes na minha vida. Realmente parece que quase tudo importante acontece nesse nono mês do ano. E isso inclui coisas boas e não tão boas, mas… É a vida!
Para esse mês meus objetivos não são muito diferentes dos outros meses:
Em relação ao Blog, o objetivo é concluir o desafio de 30 dias que se inicia hoje – #30daycelebration;
Em relação ao trabalho, o objetivo é dar continuidade aos projetos que desenvolvo onde trabalho e manter a produtividade e o clima que temos mantido no últimos meses, que tem sido ótimo;
Em relação a vida pessoal, o objetivo é reservar um momento para celebrar meu aniversário com minha família e amigos;
Tudo bem básico, sem muito entusiasmo, pelo menos sem grandes antecipações. Geralmente é assim pra mim quando chego nessa época do ano. Ao mesmo tempo que me sinto feliz pela aproximação de mais um aniversário e me invade a gratidão pela vida que tenho, que é maravilhosa em todos os sentidos (obrigada Deus!), me contém um sentimento de recordação de histórias passadas e de uma reflexão inevitável sobre como tenho levado meus dias e como será meu futuro.
E você? Como tem levado os seus dias? Como pretende levar seu mês de setembro?

Raquel Núbia

img1498133667213-01
Raquel Núbia. Foto: Leandro Oliveira – Tiradentes/MG

Dia #10 – 30 DAY BLOG CHALLENGE

10

Respondendo a um outro item do desafio, disse que queria ter uma vida mais tranquila no que se refere a tempo para dedicar a projetos pessoais e acredito que a resposta para esse item não fuja muito deste contexto.
Espero que meus dias no futuro não sejam tão corridos, nem tão milimetricamente planejados como precisam ser atualmente e que, assim, eu consiga mais tempo para mim e, além de tempo, consiga também mais energia que, confesso, tem me faltado ultimamente.
Tomo, no presente, as decisões que acredito serem as melhores para minha vida agora, ciente das consequências que terei lá na frente. Muitas vezes já tomei decisões que aos olhos dos outros eram malucas, mas só eu sabia o que aquela escolha traria e como impactaria em mim, por isso nem sempre há compreensão.
Quem sofre de ansiedade certamente já ouviu que isso é excesso de futuro e eu concordo em parte, por isso procuro não planejar demais nem pensar demais sobre isso, senão acabo perdendo a vida de agora sem nem ter certeza que chegarei no depois.

Imagem1

Abraços,

Raquel Núbia

Contrição

Eu retiro…
Retiro tudo o que disse um dia,
Quando o meu maior desejo
Era ser o que você queria.

Eu tomo de volta
Cada frase construída,
cada palavra e sílaba,
Desde o ponto de partida.

Eu levo comigo
todo o planejamento,
toda boa intenção
que guardava no momento.

Eu apago…
Fingindo não ter acontecido,
que um dia fui até você,
que me fez, de uma só vez,
esquecido.

Tiradentes (6)
Foto: Raquel Núbia – Tiradentes/MG

Raquel Núbia

 

Arte

Qualquer forma de arte me representa… Nela encontro uma forma segura de me manter firme, em contato com minha sanidade e com a minha essência.

O mundo nos obriga, muitas vezes, a guardar quem somos no bolso e a vestir uniformes que condizem com nossos papéis sociais… Mas o meu bolso é um infinito sem fronteiras…

Com o meu investimento em outras áreas que não somente a literatura, a tendência é que o blog se torne um local mais diversificado, onde quero compartilhar não somente minhas produções literárias, mas também outros conteúdos que desenvolvo. Desde assuntos voltados à minha área de formação, Psicologia, em que atuo no campo da Clínica, Organizacional e da Docência, até hobbys e qualquer outra coisa que me encha os olhos e que possa ser de interesse das pessoas que passam por aqui.

Nesse clima de mudanças e ampliação, tudo a seu tempo e, principalmente, a MEU tempo, compartilho um trechinho da minha participação no show de encerramento de um evento do Centro Universitário onde sou docente… Mais duas das minhas paixões: Música e Vida Acadêmica…

Como sempre digo, sem pretensões, sem precisar provar nada pra ninguém… Apenas escavando da camada grossa que nos é imposta pelo dia a dia, um pouco do que me mantém…

Em tempo, o canal onde o vídeo foi postado é o meu canal no YouTube, que pretendo utilizar com mais regularidade nos próximos meses. 😉

Abraços,

Raquel Núbia

O universo conspira

 

universo
Foto encontrada na internet

Em alguns momentos da vida o que era familiar se torna tão estranho e fora de ordem, e o que era certo e seguro se transforma no motivo principal de se perder o sono e trocar os sonhos por pesadelos.
De repente os rostos familiares já não dizem muita coisa e ao andar entre as pessoas, os pés não tocam o chão e o abrir e fechar de cada porta apresenta um novo caminho antes despercebido.
As palavras soam mais vazias, e quando trazem alguma emoção despertam pensamentos em cadeia, como uma engrenagem que, em efeito dominó, iniciam um turbilhão.
Assim, sentir fica mais difícil e mais difícil também fica saber o que se está sentindo e nessa dificuldade, não se sente nem o certo nem o errado.
Na busca por uma completude, recorre-se à poetas e escritores que possam representar com suas palavras o que não se consegue traduzir de forma alguma… Um deles me disse que “quando você quer alguma coisa, todo o Universo conspira para que você realize seu desejo”.
Bom, talvez o universo esteja ocupado demais…

Raquel Núbia
(Frase do escritor Paulo Coelho)