Destempero

No equilíbrio há um lugar sempre vazio.
Que quem escolhe e consegue faz morada.
Se manter lá é quase sempre um desafio,
Para uma vida que segue descontrolada.

Quem nunca chega a encontrar esse lugar,
Na corda bamba leva os dias se apoiando.
De extremo ao outro vai e se deixa levar,
E quando pensa estar indo, vem voltando.

E tão distante desse lugar tão perfeito,
O meio termo passa longe de existir.
É destempero o nome dado a esse jeito,
De quem não coloca limites ao sentir.

E qualquer ser seguindo na destemperança,
Hora ou outra esbarra em quem está ao redor.
Da explosão, logo volta a bonança,
Mas os estilhaços causam dano maior.

Qual a sorte daquele que vive desesperado,
Por não possuir o controle em sua mão?
Que quando nota já se perdeu descontrolado,
Causa mal ao corpo, alma e coração…

Quem dera houvesse um escudo a proteger,
Do destempero dos aflitos, o feliz.
Pois nem sempre há como se proteger,
De toda explosão que sempre deixa cicatriz.

São Tomé das Letras (8)
Foto: Raquel Núbia – São Tomé das Letras/MG

Raquel Núbia

Sozinho

Ninguém vence uma batalha sozinho, muito menos consegue vencer assim uma guerra.
Ninguém consegue alcançar aquilo que não quer ser alcançado, não há como dar a mão a alguém que ao ver uma mão estendida não estende a sua de volta, não há como caminhar ao lado de alguém que se esconde nas trincheiras de seu caminho sem ao menos deixar pistas de onde está indo, do porque se afastou.
Fica praticamente impossível acompanhar alguém que tem medo. Não por este alguém ter medo afinal, todos tem, fica difícil quando, com medo o outro alguém se esconde sem deixar nenhuma fresta de luz pra quem o acompanha.
Como conseguir suportar a angústia de saber que a qualquer momento novos medos chegarão e que talvez quando você mais precise de alguém que lhe dê força, que te ajude a caminhar, esse alguém simplesmente pode estar escondido em seus próprios medos sem espaço para cuidar de quem está tentando ficar do seu lado, ficando assim sozinho para sofrer seus problemas.

Sozinho

Raquel Núbia