Relembrando: Indiferença

indiferença

Indiferença

Um dos sentimentos que mais me aborrecem e que menos gosto de ter é aquela sensação de deixar de admirar alguém… Quando algo se quebra, se apaga. Você olha a pessoa e simplesmente não consegue mais sentir aquele encantamento anterior. Ela simplesmente não te diz mais nada. Saiu do patamar e pessoas especiais e caiu naquele de mais uma pessoa do seu cotidiano.
Eu tento respeitar todos ao meu redor, mesmo que sejam pessoas das quais eu não goste pessoalmente, porque não conheço todas as suas lutas mas sei que estas lutas existem, assim como existem pra mim. Mas admirar, são poucas, não é mesmo?
Alumas por sua postura, outras por seu empenho, inteligência… Admiro pessoas nas quais me espelho…
E, de repetente, sentir que aquela ou aquelas pessoas que você admirava não são dignas do seu sentimento deixa a gente um pouco vazio por dentro. Faz a gente repensar em quem devemos colocar nossos esforços e quem realmente vale nossa atenção. É um eterno recomeço e aprendizado. Colocar nossa energia somente onde ela é necessário e não perder nosso tempo e sentimento com pessoas tão voltadas a si mesmo.
Isso é uma coisa que a gente precisa ter em mente. Não se trata de dosar expectativas, se trata de saber que se não te atribuem o valor que você merece, também não são dignos de serem valorizados por você.
Precisamos saber nosso lugar, ao que pertencemos e aí sim dosar o que oferecemos a quem não compartilha disso tudo com a gente.”

Raquel Núbia

Empatia

É incômodo perceber como algumas coisas óbvias não são consideradas no nosso cotidiano, como conseguimos nos esquecer de princípios básicos que facilitam e guiam a convivência com nosso pares sendo amigos próximos ou não.
Já fazem algumas semanas em que eu me peguei pensando nisso e hoje, novamente, isso me veio à cabeça quase como um grito de revolta. Por isso me senti compelida a rascunhar pretensamente as orações que se seguem e espero, de verdade, que elas levem as pessoas, uma que seja, à reflexão:
– Ao abrir uma porta, peça licença.
Seja uma porta física ou simbólica. Não invada o espaço do outro, qualquer que seja, sem antes pedir autorização para entrar.
– Ao se queixar, seja assertivo.
Quando for relatar um problema alguém, vá direto ao ponto, critique a situação em si e busque melhorias. Não procure culpa ou culpados. E, principalmente, não desmereça um histórico de trabalho e ações por um tropeço.
– Ao se colocar, pense no outro.
Defendo sempre a necessidade de nos colocarmos como prioridade, mas isso não implica em desconsiderar o outro, quem nos cerca. Pense! Se você está triste, cansado, estressado, nervoso, angustiado, o outro também pode estar, no mesmo momento. O fato desse outro não falar nada ou não demonstrar, não significa que ele não sente, apenas que sente e demonstra de maneira diferente da sua. E quem disse que há maneira certa?
– Ao pedir atenção, tenha moderação.
Você pode sim deixar claro para quem te importa que gosta e aprecia companhia e que a atenção é importante. Mas tenha cautela para não se tornar um fardo que o outro carrega, uma obrigação a ser cumprida, pois laços forçados não são laços, são nós.
Certamente poderia continuar listando inúmeros outros itens, mas esse não é o intuito, não há necessidade de me prolongar, pois acho que todos já compreenderam aonde quero chegar. A empatia precisa deixar de ser uma palavra vazia ou um conceito utilizado somente com estranhos em situações extremas.
Se coloque sim em primeiro lugar, mas lembre-se que você não está sozinho e sim cercado por uma multidão que não tem a menor obrigação de pensar, ser e sentir como você.

Raquel Núbia

IMG_20171207_193843.jpg
Foto: Raquel Núbia

Helena

Boas novas me preenchem,
nova vida apresento.
O sonho guardado no peito
se materializa em nascimento!

Qual o tamanho da alegria
que cultivo dentro de mim.
Por mais que ainda semente,
me desperta amor sem fim.

E pouco a pouco eu sei
que a vida vai transformar,
no milagre da criação,
até ouvir seu choro soar.

Maior representação
do que o amor é capaz:
Criar um laço inquebrável.
Que não se desfaz jamais.

E por amar o outro,
me sinto hoje tão contente.
Dentro de mim tem seu espaço:
Helena, resplandecente!

Raquel Núbia.
Que dia feliz o dia de hoje ❤

IMG_20170616_164315571_HDR
Foto: Raquel Núbia – São João Del Rei/MG

DIA #19 – 30 DAY CELEBRATION

19

Saindo da seriedade 😉
As coisas que mais gosto de fazer e que talvez possam ser consideradas um “talento” já foram citadas aqui no Verba Volant algumas vezes, sendo assim para responder a este item apresento outro “talento”, só que inútil: prender o palito de dente entre os dentes – hhauhauahua…
Talento que a gente descobre naquelas brincadeiras típicas de churrasco com os amigos e pessoas queridas.

Abraço,
Raquel Núbia

IMG-20170912-WA0000
Na foto com minha prima Ana, no momento em que descobrimos nosso incrível talento 😉

 

Alice

Já fiz algumas poesias dedicadas a pessoas, mas é a primeira vez que utilizo o nome do corpo da produção. Poesia singela, espero que gostem:

“Quem é a menina
Que o tempo todo sorri,
Que fala sozinha,
Quando não há ninguém a ouvir?

Quem é a menina
Que aos poucos se revela,
Se ordena: “Fecha a boca”
Já diria a mãe dela…

Quem é a menina
De fala suave e mansa,
Que quando eu era já moça,
Ainda era criança?

Quem é a menina
Sempre carinhosa,
Que traz doces e bolos,
Sempre cuidadosa.

Já falei várias vezes,
Várias vezes já disse.
A menina que cresce dentro dos meus dias:
Alice!”

Raquel Núbia

download_20170622_062235
Foto: Leandro Oliveira – Tiradentes/MG

Hoje conversando sobre algumas coisas com um amigo, senti um pequeno nó se formando na minha garganta.
Aquela vontade de chorar que vem quando a gente não espera e que faz com que encerremos imediatamente nossos pensamentos porque, se não o fizermos, o nó não ficará somente na garganta e inevitavelmente se transformará em lágrimas indesejadas…
Sei que essa vontade veio porque me deparei com a obrigação de fazer algo que me agrada e desagrada na mesma quantidade, por realizar que as coisas não são nada como deveriam ser e não serão, por saber que não importa o quanto façamos, algumas pessoas simplesmente não nos veem como pessoas boas e inventam para si uma imagem baseada em sua própria criatividade e não fatos por mais claros que eles sejam.
Esse nó veio para mascarar uma saudade… Saudade de coisas que nem sequer aconteceram, mas principalmente de sonhar com elas, em como seriam… E por perceber que não se pode ter tudo o que se deseja porque, para alcançar alguma coisa, outra tem que ser deixada para trás.
Então é melhor para de pensar e simplesmente viver… Afinal os desejos que não se realizaram já estão no passado e suas consequência bem vivas no presente e o que resta é tentar focar no novo e sonhar com o que ainda virá…

alone-beautiful-black-blond-Favim.jpg

06/12/2012
Raquel Núbia

Lembranças

Engraçado como nos lembramos de repente de algumas coisas e de algumas pessoas… Coisas e pessoas que às vezes guardamos tão bem guardadas que esquecemos onde colocamos e que quando menos esperamos, encontramos em algum canto empoeirado da memória.
De repente temos aquela sensação de “é mesmo! Como é que não me lembrava disso…” e nos deixamos transportar por alguns momentos de alegria, saudade ou tristeza.
Engraçado como guardamos cada pedacinho de história em uma gavetinha e às vezes jogamos a chave fora e mesmo assim ela insiste em abrir quando esbarramos de leve nela, sem querer…

Lembranças
De repente nos damos conta de que as pessoas que faziam parte essencial de nossas vidas, agora são só pessoas que costumávamos conhecer e essa sensação perturba, desconcerta e, algumas vezes, deixa triste.

Raquel Núbia

Aqueles que são por nós

Gostamos de algumas pessoas que não conhecemos bem e com elas nos preocupamos… nos importamos com o que vão pensar, o que vão falar, se estão satisfeitas, se podemos fazer algo para ajudá-las… Algumas pessoas que não nos conhecem tão bem também costumam se preocupar da mesma forma, mas só algumas.

Enquanto isso, o que fazemos com aqueles que nos conhecem bem e se importam por saberem verdadeiramente quais as nossas necessidades, nossos medos e nossos sonhos?

Quantas vezes descontamos toda a nossa ira e nossa frustração justamente nos que estão mais próximos?

Isso é até comum, mas não pode ser considerado normal… os que estão mais perto certamente sofrerão mais as consequências quando nossa bombas explodirem e os maiores estilhaços os atingirão primeiro, sobrando para os demais somente o vendo forte da explosão.

Acredito que se gostam realmente, saberão nos ajudar a limpar a bagunça e começar novamente, entretanto se nós gostamos realmente também vamos aprender…

Aprender que uma hora as pessoas se cansam de fazer o trabalho dos outros e pelos outros… se cansam de aparar as arestas, de ser o ponto forte e o porto seguro, não porque deixaram de nos gostar, mas porque também precisam de referências como estas.

Não podemos deixar de reconhecer aqueles que nos dão a chance e o motivo para tentar de novo, que compreendem nosso lado mais sombrio e, para ele, tentam trazer um pouco de luz afinal.

aqueles que são

Raquel Núbia

Segredo

tumblr_lx6zudoO7B1qjywpco1_400

Sempre tive facilidade para guardar segredos…

Depois de concluir minha graduação pude compreender que devia guardar os segredos não somente pela facilidade que tenho, mas, principalmente por sua importância para quem os contam.

Quando compartilhamos um segredo, precisamos ter cuidado… Não apenas para garantir que nosso “fiel do segredo” assim o será, mas para que não deleguemos a outro a responsabilidade que é nossa… Quantas vezes nos contaram segredos apenas para que nos tornássemos cúmplices?

Compartilhar um segredo é revelar um pedaço da alma… Pobre daquele que não sabe acolher uma confissão…

Um segredo – bom ou ruim – é por si só, uma espécie de tesouro que guardamos onde ninguém poderá encontrá-lo e se o confiamos a alguém é para dividir com esta pessoa nossa riqueza ou para que tenhamos ajuda para carregá-lo e deixar em um lugar onde não o encontraremos mais.

Raquel Núbia

A cada dia que passa

Andam dizendo por aí que eu tenho medo de ser feliz… que apesar de correr feito louca atrás da felicidade e fazer de tudo para alcança-la, tenho medo dela. Talvez sim… Mas não creio que essa seja a questão central… a verdade é que acredito que a felicidade existe sim, e que depende de ninguém mais do que de mim para existir na minha vida… mas da mesma forma que acredito nisso… tenho cravadas em mim experiências que me dizem que também existem pessoas que nos cercam somente esperando o momento do sorriso de vitória para, num movimento sorrateiro, devolver o sentimento de derrota… Eu ainda continuo sem entender o motivo que leva uma pessoa a mal querer tanto outra… a ser tão maquiavélica com as palavras…

E preciso pensar sobre isso, para criar formas de driblar esses golpes que inevitavelmente irão aparecer, preciso pensar sobre isso para identificar o quanto tenho contribuído para que se comportem assim comigo.

Carrego comigo a certeza de que tudo o que eu podia fazer para alcançar o que desejo, eu fiz. Da melhor e mais honesta maneira que pude fazer… e hoje vejo que não há mais ações que dependem de mim, a não ser cuidar a todo tempo para meus medos não me vençam. Entretanto esse sentimento de “minha parte eu fiz” não é reconfortante de maneira alguma, porque traz uma sensação de  impotência frente à espera.

Tenho aprendido o quanto é quase impossível confiar nas pessoas… o quanto é difícil confiar mesmo em quem gostamos, não porque não acreditamos nelas, mas sim porque é tanta informação que chega ao mesmo tempo, de tantos lados que não há tempo de processar as verdades e mentiras dos amigos, e as verdades e mentiras dos inimigos… Ao mesmo tempo, tudo o que tenho feito é confiar… por um simples e um principal motivo, porque não me resta outra saída e porque amo acima de tudo.

IMG_20150812_171203514_HDR

Raquel Núbia