DIA #20 – 30 DAY CELEBRATION

20Algumas pessoas me perguntam como faço para escrever, se possuo alguma rotina específica ou algo parecido e toda vez que alguém me questionam fico sempre refletindo no que responder porque eu realmente não tenho um método.
Eu apenas escrevo.
Antes, tudo o que era crônica e poesia eu escrevia sempre à mão para somente depois digitar tudo. Sentia uma intensidade melhor da escrita fazendo dessa maneira mas, já faz um tempo que não opto somente pelo manuscrito e hoje tenho a mesma facilidade para escrever direto no computador.
Mesmo assim, ainda mantenho alguns cadernos onde costumo anotar algumas coisas. Neles concentro a maior parte do que escrevo. Outras vezes escrevo direto no blog e posteriormente salvo o conteúdo junto aos meus outros arquivos.
Quem tem o hábito de escrever sabe que às vezes a gente até tem a inspiração e a ideia para alguma produção, por vezes vem até o verso inteiro pronto na cabeça, mas nem sempre a gente quer se aquietar e passar tudo pro papel, ou para a tela, naquele momento. Quando isso acontece eu anoto o que pensei e guardo para o momento em que estiver mais disposta para concluir. Hoje no meu celular existem dois itens desses no aguardo: um verso para um poema e uma estrofe completa para outro.
Já em algumas situações escrever é quase como “vomitar” palavras. Um fluxo intenso e repentino que em segundos transforma sentimento em poesia.
Sou satisfeita com essa minha falta de hábito da escrita, pois assim faço as coisas ao meu tempo e não perco o prazer que escrever me traz.

Abraço,
Raquel Núbia

IMG_20170912_204313390
Foto: Raquel Núbia

 

DIA #19 – 30 DAY CELEBRATION

19

Saindo da seriedade 😉
As coisas que mais gosto de fazer e que talvez possam ser consideradas um “talento” já foram citadas aqui no Verba Volant algumas vezes, sendo assim para responder a este item apresento outro “talento”, só que inútil: prender o palito de dente entre os dentes – hhauhauahua…
Talento que a gente descobre naquelas brincadeiras típicas de churrasco com os amigos e pessoas queridas.

Abraço,
Raquel Núbia

IMG-20170912-WA0000
Na foto com minha prima Ana, no momento em que descobrimos nosso incrível talento 😉

 

DIA #18 – 30 DAY CELEBRATION

18

“Toda vez que você se frustra e permite que suas emoções venham a superfície de forma explosiva, você se machuca e corre o risco de machucar quem está ao seu redor. Com essa demonstração desproporcional da emoção, você não consegue visualizar a situação de maneira racional e por isso não aprende as lições que precisa para evitar novas frustrações.
Existe sim um lado bom em cada situação ruim. Basta que você se treine para conseguir perceber e descobrir o que é. Sabendo disso você conseguirá transpor os problemas com mais facilidade e certamente sofrerá menos.
Ah! E outra coisa! Não deposite todas as suas expectativas em terceiros. Você é forte e você consegue suprir tudo o que precisa. Seja essa pessoa e quem se aproximar de você permanecerá por escolha e não por obrigação.
O que te parece o fim do mundo hoje, será sua escada para o sucesso no futuro.
Tenha fé. Acredite em você. Confie em poucos. Honre sua família e nunca se esqueça de que as coisas sempre melhoram no final”.

P.S.: A tatuagem na foto foi a primeira que fiz. Essa foto é de 2008. No ano de 2016/2017 ela foi coberta com uma outra que me representa muito mais e que vai aparecer aqui daqui uns dias 😉

Abraços,
Raquel Núbia

DSC00120
Foto de 2009 ainda com minha “mini” fênix – uma representação do que eu era

DIA #17 – 30 DAY CELEBRATION

17Aprendi e tenho aprendido algumas lições com meus pais e irmãos, então fica difícil saber qual a maior e mais importante delas, visto que são complementares. Acredito que o que uma das coisas que aprendi ainda na infância é ser honesta com os outros e comigo mesmo. Honesta em todos os sentidos… No sentido de não levar pra mim o que é o dos outros, não tirar vantagem das pessoas, não me favorecer ou aceitar favorecimentos que venham por motivos duvidosos.
Eles me ensinaram pelo exemplo que a vida é difícil, mas que devemos ser lutadores e não esmorecer frente aos muitos obstáculos que encontramos. Me ensinaram que um passado com dificuldades não determina um futuro turbulento e que o nosso esforço nos leva para frente. Me ensinaram que, por mais que tenhamos com quem contar e que por algumas vezes seja preciso recorrer a outros, precisamos sempre contar primeiro com a gente mesmo, pois a dependência do outro nos limita, nos ameaça e nos mantém reféns. Sendo assim, se desejarmos algo, precisamos ir atrás, pois ninguém irá por nós e muitas vezes, as pessoas nem compreenderão os motivos dos nossos sonhos e metas.
Tenho pais guerreiros e batalhadores que criaram filhos guerreiros e batalhadores também. Jamais serei capaz de agradecer tudo o que fizeram por mim e a imensa sorte que tenho por tê-los comigo.

Abraço,
Raquel Núbia

fgh (35)
Raquel Núbia – Foto: Leandro Oliveira-Petrópolis/RJ

DIA #16 – 30 DAY CELEBRATION

16Quando eu era adolescente pensava que quando chegasse aos trinta toda a minha vida já estaria resolvida, que eu estaria vivendo aquela vida plena que a gente acha que vai ter quando for “mais velho”. Não havia nenhum plano concreto que eu quisesse realizar além de concluir minha formação acadêmica e o fiz com 23 anos.
Fato é que antes dos 29 muita coisa que eu nunca havia sonhado aconteceu. Boas e ruins.
E, quer saber? Eu sou muito grata por todas essas coisas, todas elas.
Cada momento difícil, dos menores aos mais intensos, me fizeram mais forte. É clichê, eu sei, mas é verdade, pois realmente foram essas experiências que me prepararam para viver a vida que tenho hoje, me prepararam para não errar nas mesmas coisas e sim cometer novos erros e assim, aprender novas coisas.
Já os momentos bons… Ah! Esses momentos, que duram o segundo que a felicidade costuma durar, eles me mostraram que vale a pena. Que muitas vezes a gente passa o inferno pra dar “um pulinho” no paraíso e voltar, mas que sempre vale a pena.
Hoje, minha maior satisfação é olhar a volta e ver que existem anjos a minha volta, anjos pessoas e anjos divinos, pois só assim para justificar o quanto tenho saído ilesa das investidas contrárias a mim.
Sei que tenho uma vida mais do que boa e sei que milhões de pessoas vivem uma vida não tão boa assim. Deus deve ir mesmo com a minha cara porque tem sido bom demais comigo: Me deu uma profissão que amo. Um trabalho em que posso exercer tudo o que aprendo. Amigos e amores, poucos mas leais. Uma família indescritível. E tem me dado a paz de espírito de reconhecer em mim mesmo uma pessoa do bem e ser assim é um grande orgulho ainda mais em um mundo que recompensa o avesso disso.
Aos 30 tenho planos que não tive em nenhum outro momento e, por mais que “envelhercer” me assuste demais, Deus, minha família e a vida me preparam bastante para seguir em frente.
30 e contando…

Abraços,
Raquel Núbia

IMG_3215
Comemorando aniversário em 2015

DIA #15 – 30 DAY CELEBRATION

15

Cinco coisas que gosto de fazer além de escrever… Eu sou uma pessoa bastante chata 😛 Não gosto de quase nada… Mas, acho que consigo citar alguns passa tempos:

– Cantar

– Ver TV
Dizem que ver tv não pode ser considerado hobbie, mas é uma das coisas que eu gosto de fazer, ainda mais se for pra ver programas de entretenimento sem compromisso, sem questões filosóficas…

– Youtube
Acredito que encaixa um pouco no item acima. Assisto vídeos em geral, mas gosto dos que falam de moda e beleza, fails (pra rir um pouco) e gatos!

– Colorir
Eu não sei desenhar, queria muito saber, mas não tem problema porque posso usar os desenhos das outras pessoas e encher de cor.

IMG_20170121_002929
Alguns dos meus desenhos

É isso… Não chega nem a cinco coisas, mas é suficiente pra mim.

Vocês tem alguma sugestão pra me dar?

Abraços,
Raquel Núbia

 

 

 

 

 

DIA #14 – 30 DAY CELEBRATION

14

Confesso que por mais que eu seja apaixonada por música e acredite no poder que ela tem, eu não tenho muita paciência para buscar novos artistas, então costumo ouvir bastante aqueles que mais gosto – Angra e Elvis são meus favoritos. A sorte é que meu namorado, por ser músico, fica antenado o tempo todo e com isso sempre descobre coisas muito legais, mas ainda assim não desapego dos outros.
Atualmente o que eu mais tenho ouvido é:

Smash into pieces
Gente, dá um play, e me diz se tem como não ficar desesperado de tão boas que são as músicas! Baixei os três álbuns e tenho escutado freneticamente.

Dynazty
Tem alguma coisa nas terras da Suécia que faz com que as bandas de lá sejam maravilhosas e com essa não é diferente. Vício total.

E como não poderia deixar de ser:
Angra ❤ A melhor banda de Heavy Metal brasileira ❤

Espero que gostem porque eu gosto demais!

Abraço,
Raquel Núbia

 

 

 

DIA #13 – 30 DAY CELEBRATION

13

8 coisas que amo no Blog? Acho que essa vai ser fácil.
Escrever ❤
Produzir as fotos que utilizo, pois tento utilizar fotos que eu mesma tiro ou que são tiradas de mim.
Produzir os conteúdos de postagens, programar os posts e buscar temas e áreas diferentes para colocar aqui.
Ter contato com outros escritores e ver o que eles escrevem. Acho muito curioso como encontro produções com temas com os quais me identifico e que, por isso, se identificam com o Verba Volant.
Ter retorno sobre o meu conteúdo. Ver as curtidas, ler os comentários e poder saber um pouco do sentimento de outras pessoas que tem acesso aos meus textos.
Ver o crescimento que tem ocorrido no último ano e, com isso, saber que mais pessoas estão chegando até aqui.
Me sentir encorajada a tentar novas áreas, pois para manter a visibilidade do Blog é necessário criatividade e isso tem me estimulado a expor algumas coisas que eu não divulgava, como os meus vídeos cantando por exemplo.
Ter um espaço “só meu”, em que posso ser e fazer o que eu quiser, do jeito que eu quiser, como e quando quiser.

E você, o que mais ama no seu Blog?

Abraço,
Raquel Núbia

IMG_20170910_144053373
Foto: Raquel Núbia

DIA #12 – 30 DAY CELEBRATION

12

Eu tenho muitas oscilações de humor e mantê-lo estável é uma luta diária, por isso quando tento pensar em um momento em que eu fiquei triste me vem algumas coisas na cabeça. Desconsiderando os momentos em que perdi pessoas queridas, pois todos eles poderiam ser listados como tristes, a primeira lembrança que me ocorreu para responder ao item de hoje foi essa:
Em 2014/2015 tive um problema de saúde, conforme já citei anteriormente, e devido a isso fui passar um tempo com meu irmão mais velho e minha cunhada, que moram em outra cidade. Depois de algumas semanas estava me preparando para retornar para minha cidade, para minha casa. Sabia que precisava retornar mas, ao mesmo tempo queria ficar mais pois aquele período fora, com pessoas e lugares diferentes, estava me fazendo bem. Mesmo assim minha vida estava me aguardando e com ela, as pessoas com as quais convivia e que, eu imaginava, estariam sentido minha falta.
Pois bem, na hora de colocar as malas no carro expressei, sem compromisso, como seria bom ficar mais uns dias e quase imediatamente, a pessoa que me levaria pra casa iniciou um discurso de que realmente eu deveria ficar mais uma semana, que não fazia sentido voltar já que eu não tinha “nada pra fazer” em casa, que não poderia voltar para me buscar no outro fim de semana mas que eu poderia ir de ônibus, etc, etc, etc.
Minhas malas foram retiradas do carro, ganhei um abraço e um beijo e enquanto via o carro ir embora, senti o quanto estava enganada quando achei que minha ausência era sentida. Me senti como um problema que foi passado de uma pessoa para outra, uma sensação de vazio e falta de carinho, me preocupava, sentia saudade, sentia falta e tinha certeza de que também sentiam isso. Mas na verdade, minha ausência era sentida quase como um período de férias e descanso.
Tentei não transparecer nada daquilo para meu irmão e minha cunhada mas, pouco depois fui “pega no flagra” enquanto chorava no quarto… Aquele momento foi muito triste e, posso dizer, que foi como um botão acionado que mudou bastante coisa nos meses que seguiram.
Aquela atitude doeu, mas a que se seguiu foi encantadora, pois percebendo meu desapontamento meu irmão e minha cunhada demonstraram tudo o que eu não havia visto dessa outra pessoa, tiveram toda paciência e carinho ao planejar o resto do dia para me tirar daquele lugar ruim e me levar para um lugar de luz, literalmente. E o programa que fizemos juntos foi inesquecível – poderia tê-lo citado como um dos momentos mais felizes.
Findando aquele período ficou mais forte pra mim a importância da família e de me lembrar sempre que, por mais que as pessoas jurem que te amam, te prometam estar contigo na saúde e na doença, nem sempre as palavras são ditas com intenção de serem cumpridas mas na família, pelo menos na minha, eu tenho um porto seguro. Sempre.

Raquel Núbia

IMG_20170617_080147436_HDR
Foto: Leandro Oliveira – Tiradentes/MG

 

 

DIA #11 – 30 DAY CELEBRATION

17

A felicidade é rara… Mas às vezes se esconde na simplicidade das coisas e por isso temos certa dificuldade para encontrá-la. Tenho a agradecer, pois os momentos felizes são muitos para recordar e espero que ainda sejam muitos para viver.
Geralmente as pessoas dizem que nos lembramos mais dos momentos difíceis e que esquecemos os momentos bons, que as atribulações nos marcam mais e que, mesmo que possamos vivenciar um longo período de bonança, ele é esquecido frente a primeira dificuldade.
Com a oportunidade de criar a lista para responder ao item de hoje, proponho que você faça o mesmo. Dedique algum tempo para se lembrar dos momentos que te fizeram sorrir ou chorar de emoção. Anote-os. Guarde-os com você como um lembrete de que a vida pode ser dura, mas também pode ser doce.

– Graduação da faculdade
Depois de 5 anos, que conquista! Muito mais do que encerrar minha primeira formação acadêmica, foi o momento de encerrar uma fase inteira da minha vida. Com um final um tanto quanto atribulado, esse período me trouxe muitos aprendizados e a noite do dia 21 de dezembro de 2010 foi uma, se não a mais feliz da minha vida. E tudo vai muito além do diploma.

– Aprovação na seleção para docência
Tamanha satisfação em conquistar algo pelo esforço e mérito próprio. A aprovação para lecionar aos alunos do curso de Psicologia do mesmo Centro Universitário onde me graduei veio em uma hora em que eu precisava me provar, precisava provar a mim mesmo que meu valor era independente do vínculo com outra pessoa. E assim foi. Uma experiência maravilhosa. Um dos telefonemas mais esperados…

– Show do Angra
Outubro de 2008. Felicidade sem tamanho ao assistir de perto minha banda favorita tocar. A relação de fã é realmente algo difícil de traduzir, mas quem admira alguém pela sua arte sabe bem como é.

– Meu primeiro apartamento
Após finalizar a visita ao apartamento junto da minha mãe e do meu namorado e verificar que aquele espaço me serviria, seria meu e abrigaria a mim e à minha independência que gritava pela primeira vez em anos, a sensação não poderia ser outra a não ser felicidade genuína. Novamente a representação material de algo muito mais profundo, que ninguém poderia tirar de mim.

– O amor fraterno
Minha relação com meu irmão mais velho me proporciona infinitas oportunidades de me sentir feliz e muito além, de me sentir protegida, acolhida e amparada. Dos mais simples gestos até os maiores. Da timidez de uma mensagem a uma preocupação expressa em uma ligação. Muitas memórias e a certeza de um amor fiel.

– Meu primeiro carro
Algo parecido com a sensação do primeiro apartamento… Leia-se o mesmo motivo.

– Meu primeiro emprego
Aqui foi algo parecido com minha aprovação na seleção para docência… Leia-se também o mesmo motivo.

– Presente no aniversário de 08 anos
Essa felicidade foi do tipo mais inocente que se pode sentir. Eu queria muito todos os móveis da casinha da Barbie, que era minha boneca favorita na infância, e quando fiz 08 anos ganhei todos eles da minha mãe! Tenho tudo guardado até hoje ❤

– Picolé depois da aula
Outro tipo de felicidade genuína era sair da escola quando estava na segunda série e encontrar minha mãe. A escola ficava muito próxima ao ponto de ônibus e nesse ponto tinha uma senhor com um carrinho de picolé. Todo dia, religiosamente era uma picolé pra minha mãe e um picolé pra mim, de limão geralmente e isso bastava para me fazer feliz.

– Gravidez de uma amiga
Cresci numa família com muitos primos e primas, mas depois de adulta não tenho mais um contato tão próximo com eles. Isso fez com que eu não acompanhasse de perto a construção das famílias, filhos e etc. Quando em 2015 uma colega de trabalho e amiga me contou que estava grávida fiquei muito empolgada! Por ela, pelo esposo dela e por poder estar perto de alguém querido em um momento especial como esse.

Poderia descrever muitos outros momentos… Mas esse post já ficou muito grande.
vale ressaltar também que a ordem em que esses fatos aparecem não são necessariamente a ordem de importância que eles tem pra mim, pois isso seria impossível.

Abraço,
Raquel Núbia

IMG_20170108_144954
Raquel Núbia. Foto: Leandro Oliveira – Petrópolis/RJ